Atendimento ao Cliente: +55.85.3182.8300 - 3182.8800 - 98676.8008 / contato@fertibabyceara.com.br

Poluentes Ambientais e Estilos de Vida induzem ao Estresse Oxidativo e pioram a Fertilidade 

Poluentes Ambientais e Estilos de Vida induzem ao Estresse Oxidativo e pioram a Fertilidade 
29 de março de 2019 Dr. Daniel Diógenes

Nos últimos anos, diversas pesquisas científicas vêm demonstrando os efeitos ruins da vida nas grandes cidades e do atual estilo e hábitos de vida sobre a fertilidade dos seres humanos.

Substâncias químicas, como os metais pesados (chumbo e alumínio, por exemplo) e pesticidas, muito comumente utilizados em diversos alimentos e bens de consumo (alumínio está, por exemplo, muito presente nos desodorantes) e os péssimos hábitos atuais de vida, como: consumo de cigarros, bebida alcoólica e drogas, além da péssima alimentação, baseada em fast foods e o sedentarismo, são fatores que limitam e pioram muito a fertilidade humana e têm influência negativa, também, no desenvolvimento fetal durante a gravidez, aumentando o risco de desenvolvimento de doenças na prole.

A presença de determinados gases, como: o monóxido de carbono e o dióxido de enxofre, presentes no ar das grandes cidades (gases expelidos pelos automóveis e indústrias) pode inclusive impactar na qualidade do ar dentro de um laboratório de medicina reprodutiva e levar a pior qualidade embrionária, diminuindo as taxas de gravidez em ciclos de fertilização in vitro.

A presença de tantas substâncias tóxicas parece provocar a formação de radicais livres, aumentando o dano às células do organismo por estresse oxidativo, um verdadeiro processo de envelhecimento celular.

Assim, os diversos órgãos, incluindo ovários e testículos sofrerão danos celulares que poderão levar a uma menor produção hormonal e consequente piora da qualidade de óvulos e espermatozoides, além de uma queda na quantidade dos mesmos.

Em uma gravidez, poderá ocorrer maior risco de partos prematuros e deficiências no crescimento fetal intrauterino e no desenvolvimento neuropsicomotor do novo ser vivo, ou seja, afetando todas as etapas de concepção.

Não há dúvidas que estamos vivendo uma época de grande impacto negativo em nossa fertilidade. A atual forma de viver dos seres humanos, com hábitos cada vez piores tende a aumentar a infertilidade, não é à toa que mais e mais casais vêm apresentando dificuldades em conceber naturalmente.

É inevitável a comparação com as gerações anteriores, que tinham melhores estilos de vida e sofriam menos com os impactos negativos da vida moderna sobre a fertilidade.

É preciso estar atento e buscar uma melhoria constante no estilo de vida para que se possa minimizar os efeitos negativos dos nossos hábitos atuais em nossa fertilidade.

Fonte: RBOnline (Reproductive Biomedicine Online). Março de 2019.

Texto escrito pelo Dr. Daniel Diógenes. Médico Especialista em Medicina Reprodutiva. Diretor Técnico da Clínica Fertibaby Ceará.

 

 

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*