Atendimento ao Cliente: +55.85.3182.8300 - 3182.8800 - 98676.8008 / contato@fertibabyceara.com.br

Os Níveis de Ácido Fólico no Homem são importantes para o Desenvolvimento Embrionário?

Os Níveis de Ácido Fólico no Homem são importantes para o Desenvolvimento Embrionário?
15 de fevereiro de 2019 Dra. Lilian Serio

O ácido fólico, historicamente, vem sendo utilizado, há muito tempo, (últimos 30 anos) em mulheres, para prevenção das doenças do tubo neural fetal (coluna) e do coração. Isso é fato comprovado. A falta deste componente está ligada, diretamente, a problemas de formação da coluna fetal. É sabido, também, que o mesmo está envolvido na síntese de proteínas, lipídios e do próprio DNA.

A recomendação da WHO (Organização Mundial da Saúde) é o uso de 400 mcg de ácido fólico do período pre-concepcional até 10 semanas de gestação. O uso do ácido nas mulheres está relacionado ao crescimento fetal, também, levando a menos crianças nascidas com baixo peso.

Dados demonstram que o uso do ácido fólico em homens parece melhorar a qualidade seminal, melhorando, por exemplo, a movimentação dos espermatozoides. Acha-se que em homens, o ácido é fundamental para síntese do DNA do espermatozoide e consequentemente da formação do genoma embrionário, sendo assim, uma suplementação adequada de ácido fólico no homem parece interferir no crescimento embrionário e do cérebro fetal de forma positiva.

Dados demonstram efeitos positivos em doses equilibradas. Doses muito altas ou baixas de ácido fólico provocariam efeitos deletérios sobre o DNA do espermatozoide e sobre o crescimento e desenvolvimento fetal. O grande questionamento é sobre o nível dessas doses. Que doses seriam as ideais para os homens? Não há, ainda, uma resposta para essa pergunta.

Além disso, parece que os níveis do ácido em homens estariam envolvidos em crescimento e formação fetais apenas em uma gravidez natural, em ciclos de fertilização in vitro (FIV), o tratamento em si, de alguma forma, anularia os efeitos ruins dos níveis baixos ou muito altos de ácido fólico. Altas doses podem provocar um excesso de estresse oxidativo levando a alterações na síntese do DNA espermático.

Em conclusão, em uma gravidez espontânea, baixos ou altos níveis de ácido fólico em homens estão associados a menor crescimento embrionário e a maior chance de dano aos espermatozoides.

Há que se ter um equilíbrio entre riscos e benefícios do uso de baixas e altas dose de suplementação do ácido fólico em homens.

Fonte: Universidade de Rotterdam, Holanda. Fertility and Sterility, ASRM (Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva). Fevereiro de 2019.

Texto escrito pela Dra. Lilian Serio. Especialista em Medicina Reprodutiva. Sócia-Diretora da Clínica Fertibaby Ceará.

 

 

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*