Artigos

31 de julho de 2019
Share on facebook
Compartilhe
Share on google
Compartilhe
Share on twitter
Compartilhe
Share on linkedin
Compartilhe

Medicina Reprodutiva: Entenda as Normas de Segurança necessárias para evitar erros, como a Troca de Embriões

Recentemente, dois casais processaram uma clínica de fertilização que trocou embriões de três famílias em Los Angeles, nos Estados Unidos. O assunto gerou comentários e esse já é considerado o caso mais grave envolvendo clínicas de fertilização. Para garantir a segurança de pacientes, embriões, obter resultados de excelência e evitar possíveis problemas como o que ocorreu nos EUA, as clínicas de reprodução assistida devem seguir uma série de normas e regulamentações de controle de qualidade e segurança.

A capacitação de equipe, registros, rastreabilidade de documentos, determinações éticas e validação de processos são essenciais para conseguir realizar com segurança o sonho de ter um filho. O papel do gestor é fundamental nesse processo.

Devemos estar constantemente atualizados sobre as novidades desse mercado e ao surgimento de alguma tecnologia promissora, analisar se ela deve ou não ser adquirida. Precisamos ainda nos certificar de que a equipe está apta a fazer o procedimento, pois estamos lidando com vidas e sonhos, o que aumenta ainda mais nossa responsabilidade.

Um dos pontos principais a se considerar durante o processo de Fertilização In Vitro, para não haver troca de embriões é a separação correta do material genético de cada paciente. A cada coleta, o material deve ser identificado com código de barras e marcação adequada com iniciais e o número do protocolo de cada caso, que deve ser arquivado em uma planilha, também é recomendado que não se lide com material genético de mais de uma pessoa ao mesmo tempo, no mesmo espaço, para não haver confusões mesmo com embriões identificados.

No Brasil, o órgão regulador, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) regulamenta e fiscaliza todo o setor e dá ao Brasil, um status de excelente controle de qualidade e segurança.

Manter sempre uma rotina rigorosa e protocolos bem estabelecidos e organizados permite que o risco de erros seja nulo ou mínimo. Não podemos nunca esquecer que nosso paciente está em primeiro lugar e que devemos manter sempre a transparência e ética acima de tudo.

Fonte: Evento Recente envolvendo troca de embriões nos EUA.

Texto escrito pela Dr. Daniel Diógenes. Especialista em Medicina Reprodutiva. Diretor Técnico da Clínica Fertibaby Ceará.

 

 

Artigos relacionados

× Como posso te ajudar?